Número total de visualizações de página

24 de março de 2012

A China em Transição

Provavelmente a mais importante noticia do Expresso desta semana vem na página 27 e, não sei porquê, não merece uma simples chamada de primeira página nem qualquer destaque.
Miguel Monjardino titula o seu oportuno artigo com um significativo "A China está em Transição", em forma de comentário ao artigo "Revolução Cultural Nunca Mais" do bem informado correspondente em Pequim António Caeiro. Aí se dá conta das movimentações no seio do Partido Comunista Chinês e do potencial de instabilidade que pode conter. Vale a pena ler. As mudanças na China, quer politicas quer económicas, são inevitáveis e isso mesmo é assumido pelos seus dirigentes. A questão é como essas mudanças se operam no seio de um gigante económico e populacional, com níveis de desigualdades tão fortes. Essa instabilidade na China é um problema de todo o mundo e não só chinês. Daí a página 27 do Expresso ser, eventualmente, o que de mais importante tem a edição desta semana.

Teixeira dos Santos na PT?


O folhetim, que ontem veio a público, da hipotética designação de Teixeira dos Santos para o CA da PT,em representação da CGD, está a atingir proporções preocupantes pelo que significam de promiscuidade entre o Estado e uma empresa privada, como é o caso da PT.
O simples facto de este assunto ser formalmente discutido no Conselho de Ministros já é preocupante. Mas o mais preocupante é que estes assuntos venham para a praça pública. se o Governo se deve pronunciar, uma vez que é o accionista da CGD, que o faça. Mas que o faça nos sítios próprios, ou seja, nas reuniões do representante do accionista com o Conselho de Administração. Parece uma questão formal mas não. A democracia e a separação de funções carecem de actos e praticas formalmente adequadas. Não basta parecer, é preciso ser.
Ouvi hoje Alberto João Jardim dizer que isto é uma vergonha. Estou de acordo com ele.É, de facto, uma vergonha. Mas não é o facto de alguém ter admitido essa hipótese. A vergonha é a forma como o governo e os dirigentes do PSD, aproveitando o palco aberto do seu Congresso, não terem a mínima continência verbal. Não só são incontinentes como dizem disparates e revelam a maior das incoerências nas matérias em questão. Teixeira dos Santos não poderá ser nada porque foi Ministro do PS. Mas o presidente da EDP e os recentemente nomeados membros do seu Conselho Geral, onde se concentra um elevado número de ex-ministros do PSD, não faz mal...é uma decisão dos accionistas privados.
Deixo aqui um sério e solidário apelo a Teixeira dos Santos. Demarque-se rapidamente deste folhetim. Não permita que o seu nome continue a alimentar a incontinência verbal que por aí vai proliferando.

15 de março de 2012

Ainda o "TGV" e a linha de mercadorias Sines-Elvas

A saga do TGV, mesmo na versão "linha de alta prestação" mista de passageiros e mercadorias, continua a dar que falar. Como aqui se refere, a Comissão Europeia e Madrid continuam a pressionar Portugal para que avance com a obra e aproveite os fundos comunitários disponíveis.
Parece que agora será o Ministro das Finanças que não deixa ou, como outros referem, não poderia avançar porque isso poderia ser entendido como dando razão ao governo anterior.
Mas, que me perdoem os meus leitores, não posso deixar de voltar a colocar a questão, não só desta indecisão quanto ao lançamento da obra, como também quanto à falta de clarificação da solução para a linha de mercadorias.
Como várias vezes alertei neste espaço, importa que se explique como é que a linha ferroviária, de bitola europeia, levará as mercadorias até Madrid e até ao resto da Europa, se em Espanha as mercadorias circulam em bitola ibérica.
E será talvez por isto que há tanto medo em avançar com a obra. É que, se eu tiver razão, uma eventual linha de bitola europeia significará que passaremos a ter um comboio de passageiros e mercadorias ligeiras de velocidade elevada, ou seja, um TGV de velocidade mais reduzida, mas mesmo assim de alta velocidade, ficando por resolver o problema da linha de mercadorias que servirá o porto de Sines e promoveria a sua competitividade.
Por favor, decidam-se.. e, como diriam os meus conterrâneos alentejanos sobre o Alqueva, Construam-me porra.

12 de março de 2012

Não invoquem a constituição em vão

Cada vez entendo menos. Então agora procura-se um enquadramento jurídico para uma declaração que é eminentemente politica? Se, por acaso, o Primeiro Ministro José Sócrates tivesse violado a constituição, com a gravidade que lhe foi atribui...da pelo discurso politico do Presidente, tal como vem expresso no Roteiros VI, então devia ter sido demitido na altura. E não foi. Em que ficamos? Vital e Vitalino bem se esforçam por discutir a aplicação, ou não, do artigo 201 da Constituição. Fazem bem. Mas perdem tempo. O problema não tem nada que ver com a constituição. Por favor, não invoquem a constituição em vão.

10 de março de 2012

Cavaco Silva atrapalha Presidente

Cavaco Silva tem um jeito imenso para se pôr a jeito, afectando de forma séria o exercicio da função presidencial . Enquanto Presidente da República resolveu, de novo, falar como se o cidadão Cavaco Silva estivesse a desabafar perante um grupo de amigos ou envolvido numa qualquer campanha eleitoral. E sempre que confunde o lugar de Presidente com Cavaco Silva,a coisa corre-lhe mal. Tem sido sempre assim.
Agora, a propósito do 1º ano de mandato de PR resolveu desferir um ataque sem sentido a José Sócrates. Revela-se mais uma vez.
E ao olhar para os comentários nos jornais quase que não consigo encontrar ninguém que o defenda. Nem mesmo os que não gostam de Sócrates e que até concordem com o que Cavaco Silva diz. Todos lhe criticam a posição assumida. E conseguir a quase unanimidade na critica dos comentadores é obra.
Precisavamos de um Presidente, mesmo que se chame Cavaco Silva, e não de um Cavaco Silva que use o título de Presidente.